sábado, 30 de dezembro de 2017

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

AS ORIGENS ANTIGAS DAS CELEBRAÇÕES DO ANO NOVO

No primeiro de Janeiro de cada ano, muitos países ao redor do mundo celebram o início de um novo ano. Mas não há nada de novo no Ano Novo. Na verdade, festivais e celebrações que marcam o início do calendário existem há milhares de anos. Enquanto algumas festividades eram simplesmente uma chance de beber e ser feliz, muitas outras celebrações do Ano Novo estavam ligadas a eventos agrícolas ou astronómicos. No Egito, por exemplo, o ano começou com a inundação anual do Nilo, que coincidiu com a ascensão da estrela Sirius. Os fenícios e os persas começaram seu novo ano com o equinócio da primavera, e os gregos o celebraram no solstício de inverno. O primeiro dia do Ano Novo chinês, entretanto, ocorreu com a segunda lua nova após o solstício de inverno.
A Celebração de Akitu na Babilónia
A primeira festa registada de Ano Novo data de cerca de 4.000 anos para a antiga Babilónia e estava profundamente entrelaçada com religião e mitologia. Para os babilónios da antiga Mesopotâmia, a primeira lua nova que segue o equinócio vernal - o dia no final de março com uma quantidade igual de luz solar e escuridão - anunciou o início de um novo ano e representou o renascimento do mundo natural. Eles marcaram a ocasião com um festival religioso maciço chamado Akitu (derivado da palavra suméria para cevada, que foi cortada na primavera) que envolveu um ritual diferente em cada um dos seus 11 dias. Durante os Akitu, as estátuas dos deuses foram perpassadas pelas ruas da cidade, e os ritos foram promulgados para simbolizar sua vitória sobre as forças do caos.
Além do novo ano, Atiku celebrou a mítica vitória do deus do céu babilónico Marduk sobre a deusa do mar malvada Tiamat e serviu um importante propósito político: foi durante esse tempo que um novo rei foi coroado ou que o mandato divino do atual governante era renovado. Um aspecto fascinante do Akitu envolveu uma espécie de humilhação ritual suportada pelo rei babilónico. Esta tradição peculiar viu o rei trazido diante de uma estátua do deus Marduk, despojado de sua regalia real, deu uma bofetada e arrastou-se pelas orelhas com a esperança de fazê-lo chorar. Se as lágrimas reais fossem derramadas, era visto como um sinal de que Marduk estava satisfeito e tinha ampliado simbolicamente o governo do rei.
Celebração romana antiga de Janus
Calendário Juliano
O Ano Novo Romano também correspondia originalmente com o equinócio vernal. O calendário romano inicial consistiu em 10 meses e 304 dias, com cada ano novo começando no equinócio vernal. De acordo com a tradição, o calendário foi criado por Romulus, o fundador de Roma, no oitavo século ac No entanto, ao longo dos séculos, o calendário ficou sem sincronia com o sol, e em 46 ac, o imperador Júlio César decidiu resolver o problema consultando os astrónomos e matemáticos mais proeminentes de seu tempo. Ele apresentou o calendário juliano, um calendário baseado em energia solar que se assemelha muito ao calendário gregoriano mais moderno que a maioria dos países em todo o mundo usa hoje.
Deus Janus
Como parte de sua reforma, César instituiu 1 de janeiro como o primeiro dia do ano, em parte para homenagear o homónimo do mês: Janus, deus romano da mudança e começos, cujos dois rostos lhe permitiram olhar para o passado e avançar para o futuro. Essa ideia tornou-se vinculada ao conceito de transição de um ano para o outro.
Os romanos celebrariam em 1º de janeiro oferecendo sacrifícios a Janus na esperança de ganhar fortuna para o Ano Novo, decorando suas casas com galhos de laurel e participando de festas raucosas. Este dia foi visto como preparando o cenário para os próximos doze meses, e era comum que os amigos e os vizinhos fizessem um começo positivo ao ano, trocando bons desejos e presentes de figos e mel com os outros.
Idade Média: 1º de janeiro foi abolido
Na Europa medieval, no entanto, as celebrações que acompanham o Ano Novo foram consideradas pagãs e não cristãs, e em 567 ac, o Conselho de Tours aboliu o primeiro de janeiro no início do ano, substituindo-o por dias com maior significado religioso, como 25 de dezembro ou 25 de março, a Festa da Anunciação, também chamado de “Lady Day”.  
A data de 1 de Janeiro também foi dado significado cristão e tornou-se conhecida como a Festa da Circuncisão, considerado o oitavo dia da vida de Cristo contando a partir de 25 de dezembro e seguindo a tradição judaica da circuncisão oito dias após o nascimento em que a criança é formalmente dado o seu nome. 
Calendário Gregoriano: 1 de Janeiro Restaurado
Em 1582, após a reforma do calendário gregoriano, o Papa Gregório XIII restabeleceu o 1.º de janeiro  como o Dia de Ano Novo. Embora a maioria dos países católicos tenha adotado o calendário gregoriano quase que imediatamente, foi gradualmente adotado entre os países protestantes. Os britânicos, por exemplo, não adotaram o calendário reformado até 1752. Até então, o Império Britânico e suas colónias americanas ainda celebravam o Ano Novo em março.
Fonte:  abril Holloway

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

TRADIÇÕES DO ANO NOVO E SUAS ORIGENS


Em muitos países ao redor do mundo, Dia de Ano Novo é comemorado a 1 janeiro, com fogos de artifício e festa na noite anterior. Mas este não é o único tipo de celebração de Ano Novo e nem todos celebram em 1º de janeiro.
As celebrações para honrar o Ano Novo em diferentes culturas ao redor do mundo.
Ano novo chinês 
Uma das mais antigas tradições ainda hoje comemoradas é o Ano Novo Chinês, que se acredita ter origem há cerca de três milénios durante a Dinastia Shang. O feriado começou como uma forma de celebrar os novos começos da temporada de plantação da primavera, mas depois foi conectado com mitos e lendas. De acordo com uma lenda, havia uma vez uma criatura sanguinária chamada Nian - agora a palavra chinesa para "ano" - que aparecia nas aldeias todos os anos novos. Para assustar a besta, os aldeões passaram a decorar suas casas com aparas vermelhas, queimavam bambu e faziam barulhos altos. O ardil funcionou, e as cores brilhantes e as luzes associadas a assustar a Nian eventualmente foram integrados aos costumes que ainda são vistos hoje. As festas agora são celebradas com comida, famílias, dinheiro da sorte (geralmente em um envelope vermelho) e várias coisas vermelhas para a boa sorte. Danças de leão e dragão, tambores, fogos de artifício, foguetes e outros tipos de entretenimento enchem as ruas neste dia. Uma vez que o Ano Novo chinês ainda se baseia no calendário lunar que remonta ao segundo milénio AC, o feriado geralmente cai no final de janeiro ou no início de fevereiro na segunda lua nova após o solstício de inverno, este ano é a 16 de fevereiro.
Dança do Dragão no Ano Novo Chinês. Fonte: BigStockPhoto
Nowruz e o Ano Novo persa
O "Ano novo persa", chamado Nowruz (ou Norooz), é um festival de primavera de 13 dias que chega até a antiguidade, embora muitas das tradições associadas ainda sejam celebradas no Irão e em outras partes do Oriente Médio e Ásia. O festival é celebrado no equinócio da primavera em março e acredita-se que tenha a sua origem como parte da religião zoroastrista. Os registos oficiais de Nowruz não apareceram até o século II, mas a maioria dos historiadores acredita que sua celebração remonta pelo menos até o século VI AC. Ao contrário de muitos outros antigos festivais persas, Nowruz persistiu como um feriado importante mesmo após a conquista do Irão por Alexandre o Grande em 333 AC e a ascensão do domínio islâmico no século VII DC
As antigas observâncias de Nowruz centraram-se no renascimento que acompanhou o retorno da primavera. As tradições incluíam festas, trocas presentes com familiares e vizinhos, fogueiras, tingindo ovos e aspersão de água para simbolizar a criação. Nowruz evoluiu consideravelmente ao longo do tempo, mas muitas de suas antigas tradições - particularmente o uso de fogueiras e ovos coloridos - continuam sendo uma parte do feriado moderno, que é observado por cerca de 300 milhões de pessoas por ano.
Bas-relief em Persepolis - um símbolo Zoroastrian Nowruz - no dia de um poder de equinócio de primavera do touro eternamente lutador (personificando a Terra), e um leão (personificando o Sol), são iguais. 
Ano novo cingalês e tâmil
O Ano Novo cingalês é celebrado pelos cingaleses do Sri Lanka, enquanto o Ano Novo Tamil no mesmo dia é celebrado pelos Tamil do Sri Lanka. O Ano Novo cingalês (aluth avurudda), marca o fim da época de colheita e é realizada em 13 º ou 14 ºAbril. Há um intervalo de tempo gerado astrologicamente entre o ano que passa e o Ano Novo, que se baseia na passagem do sol do Meena Rashiya (Casa dos Peixes) para o Mesha Rashiya (Casa dos Aries) na esfera celestial. A diferença do tempo astrológico entre o Ano Novo e o ano que passa é celebrada com vários rituais e costumes budistas, bem como encontros sociais e festas festivas. A troca de presentes, a iluminação da lâmpada de óleo e a produção de leite de arroz são aspetos significativos do Ano Novo cingalês. Em Assam, Bengala, Kerala, Nepal, Orissa, Punjab e Tamil Nadu, as famílias hindus também celebram o Ano Novo em 14 º ou 15 º abril.
Antigo egípcio Wepet Renpet
A cultura egípcia antiga estava intimamente ligada ao rio Nilo, e parece que o Ano Novo correspondia com a inundação anual. O Ano Novo egípcio foi previsto quando Sirius - a estrela mais brilhante do céu noturno - tornou-se visível depois de uma ausência de 70 dias, que normalmente ocorreu em meados de julho, pouco antes da inundação anual do rio Nilo, o que ajudou a garantir que as terras agrícolas permanecessem férteis para o ano seguinte. Os egípcios celebraram este novo começo com um festival conhecido como Wepet Renpet, que significa "abertura do ano". O Ano Novo foi visto como um tempo de renascimento e rejuvenescimento, e foi homenageado com festas e ritos religiosos especiais. 
Descobertas recentes no Templo de Mut mostraram que, durante o reinado de Hatshepsut, o primeiro mês do ano foi o anfitrião de um "Festival de embriaguez". Essa festa maciça estava ligada ao mito de Sekhmet, uma deusa da guerra que tinha planeado matar toda a Humanidade até o Sol, o Deus Ra enganou-a fazendo-a beber até ficar inconsciente. Em homenagem à salvação da humanidade, os egípcios celebrariam com música, sexo, alegria e copiosas quantidades de cerveja.
Enqutatash etíope
O Ano Novo etíope é chamado Enqutatash e é comemorado no dia 11.ª ou 12.ª setembro, dependendo do ano bissexto. Etiópia usa seu próprio calendário antigo chamado calendário Ge'ez. A data de Enqutatash marca o fim aproximado de três meses de chuva pesada. As margaridas florescem por todas as montanhas e os campos se transformam em amarelo brilhante. É um período em que os antigos abençoam os jovens e os jovens esperam novas perspectivas. Também foi associado tradicionalmente com o retorno da Rainha de Sheba à Etiópia na sequência da visita ao Rei Salomão em Jerusalém em cerca de 980 AC. Enqutatash é um feriado compartilhado entre pessoas de todas as religiões e quase todas as culturas em todo o país. São realizadas grandes celebrações, que começam desde a véspera, queimando uma árvore de Natal feita de galhos na frente de suas casas. O dia do Ano Novo real começa com o abate dos animais, abençoando o pão e tella (a tradicional brew ).  
O Escocês Hogmanay
Os moradores da Escócia marcam a chegada do Ano Novo com particular paixão em um feriado que eles chamam de Hogmanay que desenha sua história de invasões vikings, superstição e antigos rituais pagãos. As origens de Hogmanay remontam a rituais pagãos que marcaram o tempo do solstício de inverno. As celebrações romanas do festival de inverno hedonista de Saturnalia e celebrações vikings de Yule (a origem dos doze dias do Natal) contribuíram para as celebrações na Escócia em torno do Ano Novo. Essas celebrações e outras cerimónias evoluíram ao longo dos séculos para se tornar o feriado de Hogmanay, comemorado hoje na Escócia. Durante a Idade Média, os festivais de inverno pagãos pré-existentes foram ofuscados pelas festas que cercam o Natal e o Ano Novo, o Hogmanay foi movido para coincidir com os dias sagrados cristãos, após a reforma na Escócia.
As várias tradições locais encontradas na Escócia relativas a incêndios também retornam ao passado antigoNas celebrações de inverno pagãs, o fogo simbolizava o recém-ressurgimento do sol voltando para a terra, e acreditava-se afastar os espíritos malignos que habitavam na escuridão. Os incêndios ainda desempenham um papel importante nas celebrações de Hogmanay, com procissões de tochas, fogueiras e fogos de artifício populares em toda a Escócia. Outro costume conhecido como "primeiro ponto" dita que a primeira pessoa a atravessar o limiar de uma casa após a meia-noite na véspera de Ano Novo determinará a sorte do proprietário para o Ano Novo. O visitante ideal tem presentes - de preferência whisky, carvão para o fogo, pequenos bolos ou uma moeda - e deve ser um homem com uma aparência escura. Por quê? A resposta remonta ao século VIII, quando os vikings presumivelmente de cabelos claros invadiram a Escócia:
Outros costumes e tradições
Os costumes e tradições acima mencionados são apenas uma pequena seleção de celebrações culturais que ocorrem em todo o mundo. Mas há, é claro, muitos mais. 
Na Espanha, é costume ter 12 uvas à mão quando o relógio atinge as 12 badaladas da meia-noite. Uma uva é comida por cada badalada. Se todas as uvas são consumidas no período das greves, significa boa sorte no Ano Novo. 
No Japão, as "partes do esquecimento do ano" são realizadas para despedir-se dos problemas e preocupações do ano passado e a prepararem-se para um novo começo. 
Na Holanda, os holandeses fazem fogueiras das árvores de natal que queimam na rua e lançam fogos de artifício. 
Na Grécia, a comida tradicional servida é Vassilopitta, um bolo no qual uma moeda está escondida no interior, quem achar a moeda no seu pedaço de bolo receberá a boa sorte no próximo ano.
Na Suécia e na Noruega, é uma amêndoa escondida dentro de um pudim de arroz que traz boa fortuna.
Nos templos budistas em todo o mundo, tocam-se os gongos  108 vezes na véspera de Ano Novo em um esforço para expulsar 108 tipos de fraqueza humana.
Imagem em destaque: o desfile em direção ao Portão de Ishtar como parte do festival Akitu na Babilônia.
Adaptado de:  abril Holloway

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

SER EU

Entraves imaginários, preconceitos, inflexibilidades e inibições privam-nos da nossa espontaneidade, da nossa resposta hábil, da nossa capacidade de fluir e de ser tal qual somos. De registar e entender as nossas necessidades ... e deixar ser outros ...

  • Para quê torná-la simples se a podemos complicar! (...)
  • Assim sofremos, apagamos-nos, envelhecemos ...
  • Um pouco de clareza, um pouco de singeleza, um pouco de pragmatismo podem orientar-nos.
  • Que tal dizeres que não quando não queres; largares aquilo que te magoa; pedires quando precisares pedir; dares quando queres dar e chorar ou gritar quando queres chorar ou gritar?
  • Que tal abrires-te quando queres comunicar? E rires-te quando estás contente!
  • Que tal, quando vires o outro, o aceitares como é, sem o rotulares?
  • Que tal ficares aqui e agora, no único momento que é real, onde há tanto que nada requer nem do passado nem do futuro?
  • Que tal dares-te à tua essência e deixares-te Ser Verdadeiro?





Retirado do livro: A Paleta do Pintor de Claudio Casas

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

BOAS FESTAS

Boas Festas

Árvore de Natal = Árvore dos Desejos

A Energia desta época é muito forte e, as Árvores de Natal com a energia das suas luzes, ainda amplia mais essa energia, por isso, à que aproveitar e fazer da Árvore de Natal, a nossa Árvore dos Desejos.

E o Que Fazer?
Faça um quadrado de cartolina vermelha para cada desejo se possível, escreva em dourado ou como demonstra a imagem, faça a sua lista de desejos num rolo.

Aproveite e faça do próximo ano de 2018, um ótimo ano.

BENEFICIE A SI, A SUA FAMÍLIA E AMIGOS, ...

Para a Sua Família, pode colocar a imagem de cada um deles com a indicação daquilo que desejam:
- paz, amor, felicidade, harmonia, ...
Também pode colocar imagens do que deseja para si, pendure-os com fita vermelha.

ÁRVORE DE NATAL COM MENSAGEM GERAL

Corte bolas em papel coloque mensagens gerais como Alegria, Paz, Prosperidade, ... 
Ate-as à Árvore de Natal com uma fita de seda vermelha.
A imagem abaixo também é uma boa forma.
Escreva os seus desejos ou da sua família no enfeite e lembre-se, pendure com fita vermelha e de preferência, faça o enfeite em vermelho ou dourado.
Aproveitamos este email para informar que a nossa Escola, Escola Portuguesa de Feng Shui, NADA TEM HAVER com a Associação com o mesmo nome!


A todos vós BOAS FESTAS e Feliz Ano de 2018.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE OS ANIVERSÁRIOS NA CHINA

Os aniversários no Ocidente — salvo algumas tradições culturais — são celebrados de maneira relativamente semelhante, com comemorações que marcam cada ano de vida que é completo pelo aniversariante, contando a partir da data de nascimento do indivíduo. Contudo, na China as coisas são um pouquinho diferentes, com festas cheias de simbologia e tradições bem peculiares.
1 mês = 1 ano!

Por lá, os anos de vida começam a ser contados a partir do momento em que ocorre a conceção. Assim, para os chineses — que seguem o calendário lunar —, quando um bebé completa um mês de vida é comemorado o seu primeiro aniversário. Essa celebração, aliás, é muito importante, e o costume surgiu no passado, quando o índice de mortalidade entre os recém-nascidos era muito alto.

Portanto, aos 30 dias de vida, basicamente se comemora o facto de que o bebé tenha “vingado”. Além disso, é durante essa celebração que os bebés chineses são apresentados pela primeira vez aos parentes e amigos mais próximos da família, e também quando seus nomes são oficialmente informados a todos os presentes.

A festa também marca a volta das mães à vida em sociedade, pois durante o primeiro mês após o parto elas não podem sair de casa. Muitas delas inclusive nem sequer saem de suas camas durante esse período, e o motivo disso é evitar que entrem em contato com qualquer agente patogénico que possa afetar o bebé, que no ocidente se chamava recobro. Sendo assim, o festejo dos 30 dias também celebra a volta à liberdade para as pobres mães.

Primeiro ano = 2 anos!




Quando o bebé completa dois anos — ou um ano de vida de acordo com o nosso calendário —, outra festa tradicional acontece. Nessa ocasião, vários objetos são colocados diante da criança, e os participantes observam atentamente qual deles o bebé irá pegar primeiro. A escolha pode apontar que caminho no futuro, e, apesar de parecer pura superstição, essas escolhas são levadas a sério!

Os objetos mais comuns consistem em um livro ou caneta (que indica um futuro académico), dinheiro (que aponta para uma carreira como empresário, e com a conta bancária bem recheada), um carimbo (que simboliza um futuro como funcionário público ou oficial) e um brinquedo qualquer (que indica que a criança terá uma vida repleta de prazeres).

Bagunç
a

Sob o ponto de vista ocidental, contar quantos anos os chineses têm pode parecer bem confuso. Isso porque, também “fazem anos” cada vez que ocorre o ano novo chinês. Além disso, as celebrações seguindo o calendário gregoriano estão se tornando mais populares conforme os chineses vão ficando mais ocidentalizados. No entanto, como muitos ainda seguem o calendário lunar, isso significa que, tecnicamente, muita gente comemora os aniversários duas vezes por ano!

Decoração da festinha

Os aniversários como perceberam, não são comemorados da mesma forma que no Ocidente, e nem sempre ocorrem festas anuais. Contudo, quando a celebração ocorre, ela sempre é considerada uma ocasião especial, para a qual familiares e amigos são convidados. E existem alguns elementos que não podem faltar nos festejos, como ovos pintados de vermelho e gengibre, que são considerados especialmente significativos.



Para os chineses, os ovos simbolizam a fertilidade e a renovação da vida, enquanto o gengibre — muito usado como uma planta medicinal — simboliza a força vital, já que tem o poder de defender o organismo contra a humidade e o frio. A cor vermelha representa a prosperidade e é muito comum em celebrações, tanto que os trajes tradicionais de casamento usados pelas noivas, por exemplo, são dessa cor e não brancos (o banco é uma cor usada nos funerais).

Além disso, uma comida que não pode faltar nessas ocasiões éa tradicional massa de arroz, que representa vida longa e não pode, sob nenhuma circunstância, ser cortado, pois simbolizaria que a vida do aniversariante estaria sendo cortada também! Outro alimento que também está sempre presente na mesa são os pêssegos, que também representam a longevidade.

Crescidinhos

Apesar de os dois primeiros aniversários serem especialmente significativos para os chineses, os subsequentes também são importantes. No entanto, alguns aniversários são considerados como marcos especialmente marcantes. Assim, aos 20 anos os chineses iniciam a vida adulta, enquanto os 30 anos marcam a idade na qual eles já deveriam ter carreiras estáveis e iniciado uma família.
Para os chineses, aos 40 é quando eles alcançam a plenitude e aos 50 eles comemoram a sabedoria que acumularam durante esses anos. Aos 60  comemoram a vida e a família com uma grande celebração, que conta com a presença de filhos e netos. Além disso, para os chineses aos 60 anos há muito o que celebrar, é o ciclo sexagenário muito utilizado na Astrologia Chinesa, Bazi, Feng Shui e Medicina Tradicional Chinesa, é a energia dos elementos. 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

REGRAS E RITUAIS PARA PRESENTES NA CHINA

Na China a comemoração do aniversário está muito ligado à comemoração do Ano Novo.
Saiba que cuidados ter aquando oferecer um presente.
O mandarim é uma língua fonética e os chineses são pessoas muito supersticiosas. Geralmente, as superstições e as “regras” referentes aos presentes são baseadas na lógica de sons semelhantes – apesar de serem representados por ideogramas completamente diferentes – e na do que pode não ser auspicioso ou trazer boa sorte para o chinês. Isso se estende também a atitudes e costumes do dia a dia.
Lista básica de presentes proibidos:
  1. Relógios de parede – que em mandarim é 锺Zhōng, é muito semelhante a palavra usada para túmulo ou funeral, que é 塚 Zhǒng. Sendo assim, presentear alguém com um relógio de parede é o mesmo que desejar a morte ao presenteado.
  1. Chapéu (ou boné) verde – Um chapéu verde refere-se à frase 襶绿帽Dài lǜ mào, que significa que a esposa de um homem o está a trair. Então, se um homem usa chapéu verde ele é… 
  1. Guarda-chuva – Dar um guarda-chuva de presente significa que quer terminar o relacionamento. O guarda-chuva, 伞sǎn, tem o mesmo som de separar, 散 sàn.
  1. Presentes em conjuntos de quatro – O numero 4 se fala 四e a palavra morte é 死, por isso, é aconselhável não presentear com nada que tenha 4 peças ou que remeta ao número. Outra curiosidade sobre o número quatro é, para se ter uma ideia de como ele é temido, que muitos prédios não possuem o 4° andar, nem é atribuído o n.º 4 às casas.
  1. Faca ou tesoura – esses objetos não são relacionados com o som, mas sim, com suas funções. Como são utilizados para o corte, para separar um todo, não são vistos com bons olhos para presentear. Pode significar que se está a querer acabar com a amizade.
  1. Crisântemo – na China o crisântemo é a flor usada para velórios ou para homenagear os mortos, então não é de bom tom presentear alguém com elas. Em contrapartida, o cravo é uma flor popular. No dia das mães é o ramalhete mais procurado para presentear.
  1. Toalhas – as toalhas também são dadas em funerais, para os que sofreram a perda do ente querido. Receber uma toalha como um presente pode trazer de volta memórias tristes.
  1. Branco – o branco é a cor oficial do luto na China, portanto, qualquer presente branco, desde flores ou até mesmo o simples embrulho de presente, não devem ser nessa cor, pois se estará desejando a morte ou sofrimento da pessoa. Até mesmo os vestidos de noiva são tradicionalmente vermelhos. De uns 15 anos para cá, por conta da influência ocidental, as noivas estão a usar o branco entre os muitos vestidos do dia da cerimónia.
Mas porque essas regras são tão importantes?
Porque presentear na China é um ritual. Tem muita influência nos relacionamentos pessoais  e comerciais e segue a tradição.
Dar um presente é considerada uma forma adequada de se dizer obrigado, tanto para seu anfitrião, quanto para alguém que lhe prestou algum tipo de favor.
Quando fizer uma visita, presentes como vinho, chá ou algo útil para toda a família são bem vindos. Também, os presentes especiais como coisas típicas do seu país de origem (no caso de um estrangeiro) são sempre apreciados.
Tradicionalmente o presenteado não deve parecer ganancioso ao receber um presente; por conta disso, a regra é que não se aceite o presente na primeira ou segunda vez em que ele for oferecido. Mediante a insistência de quem está oferecendo, a pessoa aceita depois da terceira oferta. Portanto, insista em entregar o seu presente e não se sinta ofendido. Hoje em dia isso está a mudar bastante e aceitar um presente sem declínio está se tornando normal.

Na China, o presenteado não deve abrir o presente na frente de quem o deu. Isso porque não gostam de deixar a pessoa que deu em situação embaraçosa, caso eles não gostem do presente e não consigam disfarçar. Depois costumam mandar uma mensagem de agradecimento.
Quando se oferece dinheiro deve-se sempre fazer num envelope vermelho.
Para não errar com os presentes as cores vermelhas e douradas/amarelo são sempre as mais bem recebidas, são cores de prosperidade.
Cultura, com seus hábitos e costumes chineses.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

ESTRELAS VOADORAS PARA O MÊS DE DEZEMBRO



Para os que se encontram pela primeira vez na leitura das estrelas mensais informamos:
- O ambiente de estudo, por exemplo a sua casa, é dividida em 9 quadriláteros, em cada um dos 9 quadriláteros irá encontrar 2 números. O número do canto superior esquerdo indica a estrela anual e o número do canto inferior direito indica a estrela mensal.
Use uma bússola, confiável, para determinar as direções ou locais, não necessita de ser uma Lou Pan.
Após ter as direções, convém medir mais de uma vez, consulte o gráfico acima para a previsão mensal das estrelas voadoras. 
A previsão de sorte para cada quadrilátero, positivo ou negativo, aplica-se a todos os membros da família ou residentes, especialmente a energia que se encontra na porta da frente (aquela que todos usam) vai afetar todos os residentes.
Preste muita atenção às estrelas voadoras que se encontram na porta, na frente da casa, muito especialmente, e também nas áreas comuns.
A energia transportada pelas estrelas apenas afeta as pessoas que as ocupam com frequência. 
Saiba ainda, que a energia que se encontra no seu quarto irá afetar diretamente a si, de forma positiva ou negativa, saiba que não deve colocar elemento água no quarto de dormir.
Apresentamos agora o estudo das Estrelas Voadoras de 7 de dezembro a 5 de Dezembro. 

Palácio Sudeste coordenada 9/6
A estrela mensal 6 trás a chance do Céu, e é reforçada pela estrela 9, esta combinação trás ajuda de fontes inesperadas. Tudo funciona muito, os obstáculos desaparecem, aparecem ajudas inesperadas no momento certo, as oportunidades abundam. Estas estrelas também são benéficas para o dinheiro e ele vem de uma forma inesperada. Utilize uma placa de 6 moedas com a imagem do dragão para melhorar a sorte financeira. O conflito de fogo e metal pode trazer disputas entre gerações, reconcilie-os com o elemento terra, como bolas de cristal. Este quadrante este mês pode trazer problemas de pulmão, coloque elemento metal neste setor.
Cura: Bolas de Cristal. Placa de 6 Moedas com a Imagem de Dragão.
Bolas de Cristal
Placa de 6 Moedas com Dragão

Palácio Este coordenada 8/5
A estrela benéfica 8 vê a sua energia reduzida pelo aparecimento da estrela 5 que trás infortúnio e uma sequência de má sorte, doenças e problemas monetários. Reagende os eventos importantes como assinaturas de contratos, lançamento de um produto, … . Tenha um pagode de 5 elementos para o proteger contra perdas monetárias e uma wu lou para a saúde ou buda da medicina. Símbolos de saúde e longevidade para proteger a saúde. Existe a possibilidade de haver problemas no sistema articular e respiratória. Se o quarto estiver neste setor coloque metal nas suas mesas de cabeceira.
Cura: Pagode de 5 Elementos. Wu Lou. Buda da Medicina. Símbolos de Saúde e Longevidade.
Pagode de 5 Elementos
Buda da Medicina


Wu Lou
















Palácio Centro coordenada 1/7
Este mês a estrela visitante informa que no centro da residência se encontra a estrela 7 que proporciona a possibilidade de assaltos ou de ser enganado. É importante estar alerta e evitar riscos desnecessários. Não confie em outras pessoas nas próximas semanas. A nível de negócios também convém se precaver e use uma bandeira da vitória, para triunfar sobre os seus concorrentes e abaco ou árvore da vida para ativar fortuna. A Estrela de Metal 7 ativa a energia da água 1 provocando uma certa complexibilidade nas relações amorosas, exiba um casal de patos mandarins para suavizar as relações. Evite usar sinos ou outros objetos metálicos na decoração.
Cura: Placa de Proteção contra roubo ou Rinoceronte com Elefante. Use amuletos como um Rinoceronte Azul com o OM. Bandeira da Vitória. Ábaco ou Árvore da Vida. Patos Mandarins

Rinoceronte e Elefante
Patos Mandarins

Palácio Noroeste coordenada 2/8

O Noroeste este mês encontra uma melhoria energética com a presença da estrela 8. A presença da estrela mensal trás prosperidade, abundância financeira, boa sorte na carreira, sob a forma de oportunidades de bons negócios para quem ocupa esta área. É a altura ideal de investir em imóveis. A presença da estrela anual 2 trás, no entanto, problemas de saúde. Tenha um Buda da Saúde para proteger a saúde ou Trindade de Budas, para controlar o Chi da doença e trazer também riqueza e sucesso. Use amuletos protetores. A energia da terra pode trazer problemas digestivos. Coloque elemento de metal na cama.
Cura: Buda da Medicina, Trindade de Budas, Wu Lou com o Símbolo do Antahkarana, Objetos Metálicos, Amuletos Protetores.

Trindade de Budas

Wu Lou com Antakanara
      
Palácio Oeste coordenada 3/9 
A estrela anual 3, a estrela argumentista vê aumentada a sua energia pela presença da estrela mensal 9, provocando conflitos, desentendimentos que podem transformar-se em violência ou processos judiciais. Para o proteger contra roubos tenha uma roda de fogo. Os que conseguirem conviver bem com esta energia existe a possibilidade de fama e sucesso, uma Fénix ou um talismã de fogo aumenta a possibilidade de fama e fortuna.
Cura: Roda de Fogo. Fénix. Talismã de Fogo.
Roda de Fogo


Fénix
Palácio Nordeste coordenada 4/1
Boas notícias para quem utiliza muito este setor pois tem a possibilidade de riqueza, sucesso e oportunidades para o avanço da carreira profissional. Para quem é estudante este mês vê o seu sucesso aumentado, assim como em empreendimentos literários. Os relacionamentos este mês estão saudáveis. Ponta de cristal. 2 carpas, globo de cristal para sucesso literário. Casal de patos mandarins, símbolo da dupla felicidade. Para aumentar a riqueza e sucesso tenha uma tartaruga-dragão, navio da riqueza ou a bandeira da vitória. Evite colocar água neste setor.
Cura: Ponta de Cristal. 2 Carpas, Globo de Cristal. Casal de Patos Mandarins. Símbolo da Dupla Felicidade. Tartaruga-Dragão. Navio da Riqueza. Bandeira da Vitória.

Ponta de Cristal
Tartaruga-Dragão

Navio de Riqueza
Símbolo da Dupla Felicidade



Palácio Sul coordenada 5/2
A conjugação da estrela mensal 2 com a anual 5 trás energias muito negativas. Utilize remédios para neutralizar esta energia maligna, pois pode trazer infortúnio, má sorte, perda financeira, disputas ou doenças. É imperativo combater esta energia com a wu lou ou o buda da medicina neste setor. Evite usar este setor e tenha aí muito metal especialmente um pagode de 5 elementos para manter o Chi aflito sobre controlo, lembramos que estas duas estrelas são do elemento Terra, por isso à que a reduzir muito. Use muitas joias de metal, especialmente de ouro. Não utilize velas ou fogueiras neste setor. Caso fique doente visite imediatamente o médico.
Pagode de 5 Elementos
Cura: Wu Lou. Buda da Medicina. Pagode de 5 Elementos. Jóias de Metal.

Buda da Medicina
Palácio Norte coordenada 6/3
A energia da estrela mensal 3 trás desentendimentos, conflitos, brigas e calúnias que podem levar a processos judiciais ou problemas com a burocracia, para evitar tais situações coloque uma roda de fogo ou um dragão vermelho. O conflito entre os elementos madeira e metal indica doenças ou lesões. Tenha um wu lou com antakanara ou buda da medicina como remédio. Use amuletos protetores.
Cura: Roda de Fogo. Dragão Vermelho. Wu Lou com Antakanara. Buda da Medicina.

 
Roda de Fogo
Dragão Vermelho





Palácio Sudoeste coordenada 7/4
O Sudoeste este mês não é muito favorável, pois a combinação trás mal entendidos e desarmonia. Use elemento água para restaurar a harmonia, o rinoceronte com o elefante no elemento água é o ideal para combater o chi violento da estrela 7. As estrelas neste setor apoiam a realização académica por isso deixe os seus filhos estudarem neste setor, coloque um pagode para reforçar estas energias. O choque de elementos podem trazer enfermidades, faça a conciliação de elementos através da água. Tenha um amuleto de rinoceronte azul.
Cura: Pagode. Rinoceronte azul.


Pagode
Rinoceronte Azul