segunda-feira, 28 de novembro de 2011

CURSO GERAL DE FENG SHUI

O que é de fato significativo?


Descrição: cid:1.4177331544@web160818.mail.bf1.yahoo.com
VIVER EM ARMONIA E PROSPERIDADE


MUITO VERDADEIRO ..
 

  
Se estiver bem acordado(a)... passe para quem estiver dormindo...
                                                                                 
 

Descrição: []
 


A Escola Portuguesa de Feng Shui convida-o(a) a participar neste evento, CURSO GERAL DE FENG SHUI, por internet, começa dia 2 de Dezembro.

Este curso dá acesso ao Curso Profissional de Feng Shui.


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O MONGE E O ESCORPIÃO



Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora do rio o escorpião o picou. Devido à dor, o monje deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, pegou um ramo de árvore, voltou outra vez a correr pela margem, entrou no rio, resgatou o escorpião e o salvou. Em seguida, juntou-se aos seus discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

— Mestre, o Senhor deve estar muito doente! Por que foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda: picou a mão que o salvava! Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu: — Ele agiu conforme sua natureza e eu de acordo com a minha.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

CONFUCIONISMO




O confucionismo é um sistema filosófico agnóstico e pragmático, voltado, principalmente, para as relações sociais. 
Surgiu no século 5 a.C. e influenciou profundamente os habitantes do leste da Ásia.
O confucionismo é um dos pilares da educação na China. Há séculos é a principal fonte dos valores sociais, morais, éticos e políticos do país. 
Os chineses podem professar uma religião e, ao mesmo tempo, seguirem o confucionismo. De fato, na China é mais uma doutrina filosófica social do que uma ideologia. Não se trata de uma religião no sentido estrito do termo.
Seu fundador Confúcio (Kung-fu-tzu, 551 a.C. - 479 a.C), um filósofo humanista e educador. Nasceu em Qufu, atualmente na província de Shandong. Seu nome de família era Kong e seu nome pessoal, Qiu, mas ficou conhecido como Kung-fu-tzu ou "Mestre Kong". Confúcio é a versão latina de seu nome. 


Confúcio procurava transmitir e renovar conhecimentos dos antepassados, tornando-os conhecidos pelas pessoas comuns e não apenas pelos aristocratas. Muitos de seus textos foram, na verdade, escritos por seus pupilos depois de sua morte.

O confucionismo prega cinco virtudes essenciais: o amor entre as pessoas, o cumprimento das regras sociais, a justiça, a sabedoria e sinceridade desinteressadas e o respeito à vontade do Céu ou "tian". 


Confúcio tinha uma regra de ouro: não faça aos outros o que não deseja que os outros lhe façam.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

OM - O Mantra por Excelência



Nos antigos Upanishades (constituem a redacção 
das lições dos mestres hindus. Existem inúmeros 
upanishades, que foram redigidos ao longo de 
centenas de anos, a partir do século IX a.C.) 
indianos,  o mantra OM é chamado de "sílaba suprema"
e "mãe de todos os sons" (matrikamantra). Esse mantra 
é erroneamente atribuído ao sânscrito. De acordo com 
todas as informações existentes, ele procede da cultura 
matriarcal da Deusa que foi denominado pelo nômades
 arianos.  Como muitos outro conceitos e elementos 
espirituais dessa cultura, o OM também se tornou um 
componente da nova sociedade patriarcal de influência 
ariana. Sem a deusa, nada acontece no nível espiritual 
- tudo seria apenas teoria sem a capacidade de transformar
ideiais em manifestações materiais e efeitos práticos. No 
texto védico Mahanirvanatantra, esta dito: "... assim 
como o nascimento vem da mãe, o mundo surge de 
matrika ou som". 
O antigo texto indiano Chandogaya Upanishad diz o 
seguinte sobre o OM:

Ficheiro:Rigveda MS2097.jpg

A terra é a essência de todos os seres.
A água é a essência da terra.
Os vegetais são essência da água.
O ser humano é essência dos vegetais.
A linguagem é a essência dos seres humanos.
Rigveda (texto sagrado) é a essência da linguagem.
Samveda (texto sagrado) é a essência do Rivgveda,
E a essência de Samveda é Udgith (outro termo para OM).
Udgith é a mais admirável de todas as essência
e merece o lugar mais elevado. 

OM também representa a consciência cósmica oniabrangente 
(Essa consciência cósmica oniabrangente não é a Força 
Criadora em sua totalidade, mas o nível de consciência mais 
elevado do universo material formado pelo Grande Deus e 
Grande Deusa). A própria pronúncia correta desse mantra 
não é como a forma escrita OM, mas sim AUM. Como 
provavelmente acontece com todos os mantras, esse tem 
diferentes níveis de significado. Alguns dos mais importantes 
são explicados a seguir.

Cada letra tem um significado espiritual:



A simboliza Akar, a forma, a estrutura material, em sua 
forma verdadeira, espiritual, ou seja, a Geometria Sagrada 
e a vida material que é vivida de modo espiritual. Esse é o 
caminho para o divino no mundo terrestre como uma parte 
importante, indispensável, da  comunidade de seres. Essa 
comunidade é sustentada pelos indivíduos com seu potencial 
único e ela sustenta os indivíduos com tudo o que eles não 
consigam prover por si mesmos devido às suas limitações e 
fraquezas. Gyan Shakti, como um dos três principais aspectos 
místicos da Grande Deusa, que traz ao mundo material a 
consciência  mais elevada na forma de som, pertence a essa 
letra. Ela rege a luz que manifesta, o claro conhecimento que 
está enraizado na verdade espiritual masculino correlato é 
Brahmâ, o aspecto criador do Grande Deus (não confundir com 
Brahman, a  Força Criadora). A Grande Deusa Dai Marishi Ten 
e o Grande Deus (Buda Transcendental) Dainishi Nyoari do 
Budismo Esotérico pode ser incluídos aqui.


O simboliza o estado de sonho. É onde a consciência 
individual reside no reino interior de desejos, sentimentos 
e pensamentos. U representa o elemento ar Urdhagami, cujo 
movimento é dirigido para cima, em direção ao céu. Portanto 
ele rege os poderes da agressão, da atividade e dinamismo. 
O principal aspecto místico da Grande Deusa éIschcha Shakti, 
que governa a vontade. O aspecto masculino correlato é Vishnu, 
que mantém a ideia, a visão da realidade espiritual nos seres e 
lhes concede continuamente nova inspiração nesses termos.

M simboliza o estado de sono mais profundo 
simultaneamente a consciência da unidade perfeita. 
mostra o vazio, também chamado Akasha, o potencial 
ilimitado de qual tudo se origina e para o qual tudo volta. 
Akasha é o fundamento da existência de todas as coisas e, 
perspectiva do ser espiritual desperto, é idêntico ao que foi 
criado (Compare isto com os comentários sobre a dupla 
natureza da existência.) O famoso Sutra do coração budista 
diz sobre ele: "Forma não é senão vazio; vazio não é senão 
forma." Ao mesmo tempo, Akasha não se mistura com as 
formas materiais da existência. Ele não muda, não desaparece 
e só pode ser descrito por meio dos seus efeitos, nunca 
diretamente. O principal aspecto místico da Grande Deusa 
é Kriyâ Shakti, que rege as ações. O aspecto espiritual 
masculino correlato é Shiva (traduzido literalmente como 
"o Afável", o Benevolente"), que dissolve e destrói o que 
não corresponde à realiadade espiritual e à verdade. 
Shiva é também chamado de "Dançarino Cósmico". 

sábado, 5 de novembro de 2011

GENGIBRE



O gengibre é uma planta asiática, originária da Ilha de Java, da Índia e da China, de onde se difundiu pelas regiões tropicais do mundo. É conhecido na Europa desde os tempos muito remotos, para onde foi levado por meio das Cruzadas. No Brasil, o gengibre chegou menos de um século após o descobrimento. Naturalistas que visitavam o país (colônia, naquela época) achavam que se tratava de uma planta nativa, pois era comum encontrá-la em estado silvestre

O uso na Medicina
Como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona
Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosses, resfriado e até ressaca. Banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais.



No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e articulações. Na fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre é chamada de "Gan Jiang" e apresenta as propriedades acre e quente. Sua ação mais importante é a de aquecer o baço e o estômago, expelindo o frio. É usada contra a perda de apetite, membros frios, diarreia, vómitos e dor abdominal. Aquece os pulmões e transforma as secreções

Na medicina Ayurvédica, o Zingiber officinale conhecido como "medicamento universal".
Além desses benefícios, o gengibre também tem ação bactericida, é desintoxicante e possui poder afrodisíaco - onde seu óleo é utilizado para massagear o abdome, provocando calor ao corpo e excitando os órgãos sexuais. Na medicina chinesa tradicional, por sua reconhecida ação na circulação sangüínea, ele é utilizado contra a disfunção erétil. Uma pesquisa da Unicamp realizada em coelhos, comprovou os efeitos.
Recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjôos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos




SOLO: areno-argiloso, fértil e com boa drenagem
CLIMA: tropical e semitropical
ÁREA MÍNIMA: pode ser plantada até em quintais de residências
COLHEITA: em média, 15 toneladas por hectare
CUSTO DA MUDA: varia de 60 centavos a um real
Mãos à obra
INÍCIO - a estação das chuvas é a indicada para iniciar o plantio de gengibre, em especial os meses de setembro a novembro. O gengibre prefere os climas tropical e subtropical, porém há variedades que se adaptam às temperaturas baixas de regiões mais frias. Entre as popularmente conhecidas estão a branca, azul e amarela. Dê preferência por mudas de qualidade e oriundas de lavouras que não sofreram ataque de doenças.
PLANTIO - o solo ideal é o argilo-arenoso, fértil, com pH entre 5,5 e 6,0 e boa drenagem. Embora a cultura necessite de muita água para se desenvolver, ela não suporta encharcamento. Troque de local a cada safra, para evitar queda nas próximas produções.
ADUBAÇÃO - recomenda-se para a adubação 240 quilos por hectare de P2O5, além de incorporar 30 quilos por hectare de N e 70 quilos por hectare de K20 nas amontoas - wcobertura de terra dos rizomas (ver item propagação). Caso seja necessário o uso de calcário para a correção do terreno, aplique o produto no mínimo três meses antes de começar o cultivo. O índice de saturação não pode estar abaixo de 50%.
ESPAÇAMENTO - deixe os sulcos de plantio com cerca de 15 centímetros de profundidade, oito centímetros a distância entre os rizomas e um metro entre as linhas.
PROPAGAÇÃO - o gengibre propaga-se por meio de gomos. São pedaços de rizoma com um a dois brotos. Em um mês, as mudas estão prontas para o transplante em local definitivo. Os rizomas devem ser cobertos com uma camada de dez centímetros de terra depois de plantados. Mas como crescem para cima, é preciso cobri-los periodicamente.
PRODUÇÃO - o tempo para colher o gengibre varia de sete a dez meses, o que ocorre entre junho e agosto. O amarelecimento das folhas avisa que o rizoma amadureceu. Ele pode ser extraído da terra manualmente. A produção por hectare pode atingir 15 toneladas do produto fresco e três toneladas do seco

AS SETE ERVAS – Conheça o poder e a proteção.




Natureza é saúde e bem estar. Todos sabem, mesmo que de forma intuitiva, que as plantas e flores naturais, além de embelezar, transmitem ao ambiente e às pessoas boas energias e ótimas vibrações. Isso acontece porque as plantas emitem e trocam energia com os ambientes e as pessoas, influenciando tudo e todos.

Cada planta ou erva tem seu poder de vibração particular e especial, mas quando combinadas entre si, podem aumentar ainda mais seus poderes e vibrações. Um exemplo bem prático são as sete ervas. Elas têm um super poder de combater as energias negativas, seja na residência ou trabalho. 


Não existe uma regra rígida sobre quais são as sete espécies de plantas usadas na montagem deste vaso. A escolha das plantas pode variar dependendo da região do país, mas a versão mais usada é esta:

Arruda (Ruta graveolens)
Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia sp.)
Pimenta (Capsicum annuum)
Espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata)
Manjericão (Oncimum basilicum)
Alecrim (Rosmarinus officinalis)
Guiné (Petiveria alliacea)

Existe uma versão bem conhecida, que substitui o comigo-ninguém-pode pelo trevo-de-quatro-folhas (Oxalis deppei).



Um vaso com as sete ervas pode ser colocado em qualquer ambiente que se deseja proteção e limpeza energética. Coloque na sala, na porta de entrada, no hall ou varanda, na sua cozinha, na recepção ou no escritório, ao lado de sua mesa de trabalho. Porém, stes ambientes devem tem abertura para áreas externas como janelas e portas, pois estas plantas precisam de luz, sol e ar circulando.

Este vaso te dará sorte e boas energias, mas antes de usar as plantas, conheça com mais detalhes suas propriedades.


Veja, abaixo, as propriedades das sete ervas e para que servem cada uma delas:

Arruda: é umas das ervas mais poderosas para combater inveja e olho-gordo. A arruda já era conhecida e usada na antiga Grécia e Roma. Foi popularizada no Brasil pelas escravas na época na colonização. Quando colocada num ambiente, além de proteger, emite vibrações de prosperidade e entusiasmo. Podemos ter sempre um galho de arruda junto ao corpo para reter as energias negativas.

Guiné: em um ambiente tem o poder de criar um “campo de força” de proteção, bloqueando as energias negativas e emitindo vibrações otimistas. Atrai sorte e felicidade. Cria uma energia de bem-estar nos ambientes.

Alecrim: é uma erva que tonifica as pessoas e os ambientes. É considerado também um poderoso estimulante natural, favorecendo as atividades mentais, estudos e trabalho. Favorece e fortifica o ânimo e vitalidade das pessoas. Agindo em conjunto com arruda, “segura” as energias de inveja, mau-olhado e fofocas.

Comigo-ninguém-pode: o nome da erva já diz tudo. Afasta e quebra todas as energias negativas dos ambientes. Em uso conjunto com espada de São Jorge quebra feitiços, magia e mau-olhado. Além deste super poderes é uma planta muito bonita para qualquer ambiente (atenção as suas lágrimas são venenosas).

Espada de São Jorge: por causa de suas folhas pontudas é facilmente associada ao poder de cortar as energias negativas, a inveja, olho-gordo, magia, etc. Alguns dizem que espanta os maus espíritos. Ao cortar as energias negativas, a erva atrai coragem e prosperidade.

Manjericão: Além do delicioso sabor que passa como tempero da cozinha italiana, o manjericão, quando exposto num ambiente, tem a propriedade de acalmar e trazer paz de espírito a todos. Ao acalmar as tensões, afastamos os pensamentos negativos e nuvens negras.

Pimenteira: esta planta combate as energias pesadas e ariscas. É uma planta de vibração estimulante, afrodisíaca, tonificante e atrai boas energias para o amor.

Trevo-de-quatro-pétalas: esta planta chama a sorte.


Plantar...
Escolha um vaso ou jardineira com espaço suficiente para acomodar as sete mudas. Forre o fundo com uma camada de cascalho ou cacos de telha. Faça uma segunda camada com areia, para facilitar a drenagem da água das regas.
Chegou a hora de colocar a mistura de terra preparada com: 1 parte de terra comum, 1 parte de areia e 1 parte de húmus de minhoca. Tudo muito bem misturado e incorporado. Espalhe a mistura de terra no vaso até pouco mais da metade da altura.
Retire as mudas da embalagem e ajeite-as no vaso. 

Por terem tendência de crescer para os lados, comigo-ninguém-pode e espada-de-são-jorge devem ficar em lados opostos do vaso. A arruda, por ser de trato mais flexível, pode ir no meio.

O alecrim e o manjericão também devem seguir a mesma regra, pois a primeira gosta de pouca água, enquanto a segunda prefere lugares mais úmidos. Entre o alecrim e a espada deve ir a pimenta. E entre o manjericão e a espada, a guiné.

Complete com o restante da mistura de terra e faça uma boa rega, até que a água comece a escoar pelo furo de drenagem.

Como cuidar...
No início, seu Vaso 7 Ervas vai precisar ficar num local com boa luminosidade, mas longe do sol direto. Depois de 3 ou 4 dias, você vai precisar colocá-lo num local onde possa receber cerca de 6 horas de luz solar direta diariamente. 
As regas devem ser cuidadosas: mantenha o solo sempre úmido, mas nunca encharcado. Procure regar sempre que a camada superficial estiver seca.
Para manter as plantas fortes e sadias, adube-as mensalmente com húmus de minhoca.